VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

PUBLICIDADE
Motores

Uno Sporting: desempenho vitaminado com o motor de 109 cv

Versão esportiva acelera de 0 a 100 km/h em 9,8 s e custa R$ 49,34 mil.

Adair Santos/GES-Especial
Rodas e adesivos exclusivos
O Uno Sporting recebe, enfim, um motor que condiz com a sua proposta. O Firefly 1.3 de quatro cilindros garante um bom desempenho à versão, que recebeu as mesmas mudanças das demais configurações na linha 2017 e um pacote visual personalizado.
No novo propulsor, são 101 cv com gasolina e 109 cv com álcool. Não se pode compará-lo a um T-Jet 1.4 turbo de 152 cv, mas ainda assim é bem melhor que o 1.4 de 85 cv/88 cv que equipava o Uno Sporting anterior. As acelerações e retomadas ocorrem sem ‘‘sofreguidão’’ e ficaram mais ágeis.
A direção elétrica não é apenas leve, como também vem com a função City, que a deixa ainda mais macia para manobras. Quem está acostumado a carros com direção mecânica ou hidráulica pode até ter a sensação de que o volante está desconectado do sistema. Em velocidades mais elevadas, entretanto, fica mais pesada, aumentando a sensação de segurança.
Um ponto que deveria ser revisto, entretanto, é a suspensão – que segundo a Fiat tem ‘‘acerto esportivo’’ –, mas na prática é macia demais em relação ao que a versão Sporting se propõe. Tudo bem que a esportividade do modelo está mais no visual do que propriamente nos atributos mecânicos, porém uma regulagem mais firme o deixaria muito mais divertido...
A linha 2017 trouxe a reboque um reposicionamento de preços. E infelizmente para cima, pois é o Mobi que ocupa o lugar que tradicionalmente foi seu. Assim, para ter um Uno é preciso desembolsar R$ 41,84 mil e, na Sporting, como a testada, R$ 49,34 mil.
Visual
Adair Santos/GES-Especial
Atrás, saída do escapamento é dupla e central
Spoiler na tampa traseira em preto brilhante, rodas em liga-leve aro 15’’, ponteira de escapamento dupla central cromada, grade dianteira em preto brilhante, para-choque dianteiro com detalhes em vermelho, maçanetas e retrovisores em preto brilhante e faixas laterais com escrita Sporting são itens exclusivos.
Desempenho
Adair Santos/GES-Especial
Bom rendimento, boa economia
O novo 1.3 gera 101 cv e 13,7 kgfm com gasolina e 109 cv e 14,2 kgfm com etanol. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 9,8 s com etanol e 10,6 s com gasolina, enquanto as máximas são de 177 km/h com qualquer um dos combustíveis. Segundo a montadora, na cidade o modelo faz 12,89 km/l com gasolina e 9,17 km/l com etanol. Na estrada, os números são de 14,05 km/l e 10,14 km/l, respectivamente. Baixo peso do carro (1.055 kg) contribui para o ótimo desempenho e o câmbio de cinco marchas conta com ótimo escalonamento. Esse motor está disponível também na Way, por R$ 47,64 mil. Então, quem não se apega ao visual e dá mais valor para a potência pode economizar R$ 1,7 mil.
Equipamentos
Na cabine, a evolução do acabamento salta aos olhos: materiais imitando fibra de carbono e insertos de black piano somam-se aos novos grafismos do painel de instrumentos. Faixa horizontal e detalhes do interior – maçanetas, quadro de instrumentos e aplique do volante – na cor vermelho royal são diferenciais internos.
Adair Santos/GES-Especial
Direção elétrica conta com função City
Em termos de equipamentos, desde a versão Attractive 1.0 o Uno 2017 vem de fábrica com ar-condicionado, direção elétrica com função City, brake light e sinalização de frenagem de emergência, faróis de neblina, função Lane Change para auxiliar o comando de seta, computador de bordo, vidros elétricos dianteiros com one touch e antiesmagamento, trava elétrica nas portas com acionamento automático a 20 km/h, quadro de instrumentos iluminado com conta-giros, welcome moving e display LCD de alta resolução equipado com computador de bordo A e B e volante multifuncional. A partir da Way 1.3 o carro recebe sistema Start&Stop, chave canivete com telecomando de abertura e fechamento de portas e vidros elétricos, rádio RDS com entrada auxiliar e entrada USB para MP3/WMA.
Economia com o Start&Stop
Adair Santos/GES-Especial
Sistema Start
O sistema Start&Stop pode representar mais de 20% de economia e a redução dos gases poluentes, passando a equipar agora de série todas as versões com motor 1.3, inclusive aquelas com câmbio Dualogic. O quadro de instrumentos traz itens para ajudar o motorista na condução e utilização do sistema. Além disso, sensores auxiliam no bom funcionamento e na segurança, como o existente no câmbio para reconhecimento da posição N e o de cinto de segurança do motorista para garantir que a repartida só será feita quando estiver afivelado. Porém, é possível desligá-lo por meio de um botão no painel. Essas versões também receberam o novo Smart Charging System, ou alternador inteligente, que otimiza a carga da bateria pelo alternador, evitando que o motor gere energia ao equipamento desnecessariamente.
Apoia-braços
Adair Santos/GES-Especial
Conforto durante as viagens
O apoia-braços central facilita a vida do motorista em viagens. Na cidade, porém, atrapalha bastante os movimentos para trocas de marchas, mas aí é só rebatê-lo. Bonito e gostoso de dirigir, o Uno mantém a mesma plataforma e, por isso, segue oferecendo um espaço apenas razoável para os passageiros do banco de trás.

RAM 1500 deve chegar em 2017

Pequena nos EUA, grande no Brasil, picape tem 5,81 m e é maior que as picapes médias, como a Ranger.

RAM 1500
Menor entre as picapes da marca RAM vendidas nos Estados Unidos, a 1500 desembarca no Brasil no segundo semestre de 2017, somando-se à RAM 2500. O modelo foi exposto pela primeira vez no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro, atiçando a curiosidade dos fãs.
Com 5,81 m de comprimento, é um pouco menor que a RAM 2500, com seus 6,03 m, mas maior que picapes como a Ford Ranger (5,35 m). Nos EUA, a 1500 concorre com pesos-pesados – a exemplo da Ford F-150. A versão de acabamento exibida no salão brasileiro foi a Laramie, com cabine Crew Cab, a maior disponível. Ao contrário da 2500, porém, a 1500 não exige no País a carteira de habilitação C.
O anúncio de que a 1500 vem para o Brasil foi feito no Salão de Detroit, em janeiro passado. Pelos projetos iniciais, já deveria estar à venda, mas segundo informações de bastidores, ainda há muitos detalhes para acertar no processo de homologação. Um dos principais pontos de discussão seria o motor: a matriz queria trazer o Pentastar V6 3.6 de 291 cv a gasolina, enquanto a filial, mais habituada ao gosto dos brasileiros, insiste no V6 turbodiesel, uma decisão mais acertada. Nos EUA, a 1500 tem preço inicial de US$ 26 mil, mas por aqui dificilmente ficaria abaixo dos R$ 200 mil.
Motor V6 de 243 cv
RAM 1500
O powertrain combina força e refinamento. O motor 3.0 V6 turbodiesel desenvolve 243 cv de potência e 58 kgfm de torque, trabalhando em conjunto com o câmbio automático de oito marchas. A versatilidade de uso é garantida pela tração 4x4 e pela suspensão a ar, que proporciona conforto de rodagem.
Visual imponente
RAM 1500
O design é bastante parecido com o da RAM 2500. A frente é imponente e há cromados por todos os lados: grade, para-choques e parte superior dos espelhos retrovisores. O peso da picape é de 2.549 kg e, sua capacidade de carga, de 750 kg, bem menor que os 1.030 kg da RAM 2500.
Equipamentos
RAM 1500
Linhas do painel são idênticas às da RAM 2500, com diferenças para alguns tons de acabamento. O nível de equipamentos da versão Laramie, com cabine Crew Cab, inclui seis air bags, teto solar, bancos dianteiros com aquecimento e ventilação, sistema de áudio premium (nove alto-falantes e um subwoofer) e chave de presença Keyless Enter-N-Go (abertura das portas, caçamba e ignição sem usar a chave).
RAM 2500 custa R$ 259,9 mil
RAM 2500
Quem não está a fim de esperar a RAM 1500 tem como opção a gigante RAM 2500, que recebeu mudanças na linha 2016, comercializada no Brasil desde dezembro de 2015 em versão única, a Laramie, por R$ 259,9 mil. O motor turbodiesel Cummins 6.7 de 6 cilindros em linha e 24 válvulas gera 330 cv de potência e incríveis 104 kgfm de torque.
2015 Dodge RAM 2500 Laramie
O câmbio é automático de seis marchas. A picape chegou ao Brasil há 10 anos, ainda como Dodge RAM, na versão SLT. A montadora não divulga números mas, para fins comparativos, estima-se que acelere de 0 a 100 km/h em cerca de 10 s, algo próximo de um sedã médio.
A RAM 2500 tem 3.410 kg e Peso Bruto Total (PBT) de 4.536 kg. Pela legislação brasileira, veículos com PBT acima de 3,5 mil kg são considerados caminhões.
Muito espaço a bordo
2015 Dodge RAM 2500 Laramie
O interior, todo revestido em couro, não deixa dúvidas: trata-se de uma típica picape norte-americana. A opção castanho canyon soma-se ao preto. Também inédito é o console central, que engloba a central multimídia Uconnect com tela de 8,4’’, com entradas USB, cartão SD, auxiliar P2 e tomada 12 volts. O enorme porta-objetos dividido em dois compartimentos facilita bastante a vida do motorista, assim como os sensores dianteiros de estacionamento.

Camaro ganha novo visual e motor V8 de 461 cv

Sexta geração já teve 100 unidades de série especial vendida.

Novo Camaro
A sexta geração do Camaro conta com design modernizado e um V8 6.2 com injeção direta e ainda mais potência, que pulou de 406 cv para 461 cv. O torque também aumentou de 56,69 kgfm para 62,9 kgfm. A transmissão de 8 marchas com sistema Active Select permite trocas automáticas ou manuais por meio de aletas atrás do volante. Outra novidade é o intensificador de som do motor para a cabine, que torna o ronco mais envolvente à medida que os giros sobem.
Novo Camaro
As dimensões e a arquitetura do carro são completamente novas, contribuindo para uma dinâmica veicular que, segundo a montadora, é surpreendente. Do modelo anterior, o Camaro 2017 manteve somente duas peças: a gravata dourada da Chevrolet e o emblema SS que identifica a versão luxuosa da gama.
A série limitada Fifty custou R$ 297 mil, mas a SS deve chegar em janeiro, por preço estimado de R$ 250 mil, bem mais que os cerca de R$ 190 mil da versão anterior. A configuração SS conversível também estará disponível no mercado brasileiro – porém deve estrear somente no primeiro trimestre do ano que vem.
Camaro
Visual 
O estilo muscle car que consagrou o modelo anterior foi mantido, porém, agora com uma linguagem mais contemporânea. O cupê adiciona ainda seletor de modo de condução (Drive Mode Selector), sistema de vetorização do torque, freios de alta performance Brembo com assistência de frenagem de urgência, alertas anti-distração, oito air bags, pneus mais largos, teto solar, faróis em xenônio e lanternas em LED.
Cabine mais refinada
Novo Camaro
A cabine do Camaro 2017 está mais refinada. Traz avançados recursos, como painel customizável, Heads-up Display (já presente na versão anterior), multimídia Mylink com Android Auto e Apple Car Play, alto-falantes Bose, carregador wireless para smartphone, volante com aquecimento, bancos dianteiros com ventilação, ajuste elétrico e memória e ar-condicionado dual zone, além de partida remota da ignição.

Felino infernal

Sensação nos EUA, Dodge Challenger SRT Hellcat tem 717 cv.

2016 Dodge Challenger SRT Hellcat
Simplesmente o muscle car produzido em série mais rápido e poderoso da história. Ostentando esse respeitável título, o Dodge Challenger SRT Hellcat, com 717 cv, foi destaque da marca no Salão do Automóvel de São Paulo e é sensação nos Estados Unidos. Pena que não deve ser oficialmente importado. Porém, a marca estuda a possibilidade de trazer o esportivo – e até o Charger – numa versão V8 ‘‘mais normal’’, ‘‘só’’ com 370 cv.
2016 Dodge Challenger SRT Hellcat
O propulsor do Hellcat também se destaca por ser o primeiro Hemi supercomprimido de fábrica (sem turbo) e também o primeiro V8 sobrealimentado da Dodge. Para atuar com esse poderio arrebatador, há duas opções de transmissões. Uma delas é a automática TorqueFlite de oito marchas, com trocas sequenciais por meio de aletas atrás do volante, unindo conforto e esportividade. Já os mais puristas podem se deliciar com uma caixa manual Tremec de seis marchas, a mesma que equipa o Dodge Viper.
V8 Hemi
Supercharged 6.2-liter HEMI® Hellcat V-8 engine produces 707 horsepower and 650 lb.-ft. of torque
Toda essa cavalaria vem do motor V8 Hemi Hellcat 6.2 com compressor, que produz 717 cv de potência a 6.200 rpm e 89,8 kgfm de torque a 4.800 rpm.
Desempenho
A aceleração de 0 a 96 km/h (60 mp/h) ocorre em 3,5 s e a velocidade chega a 320 km/h.
Duas chaves para dosar a potência
Dodge Challenger SRT Hellcat, com 717 cv
Outra primazia do modelo dentro da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) é ter duas chaves – uma preta e outra vermelha. Somente a vermelha é que libera os 717 cv e todo o potencial do Hemi Hellcat, enquanto a chave preta limita o motorista a uma potência de “apenas” 500 cv.
2016 Dodge Challenger SRT Hellcat - Sepia Laguna leather

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS