VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

Tecnologia

Hire: procure emprego pelo Google

Produto funciona integrado à G Suite e busca concorrer com LinkedIn.

Reprodução
Logotipo do Hire, serviço do Google para contratação e recolocação, equivalente ao LinkedIn
O Google lançou o serviço Hire (do verbo "Contratar" em inglês), para concorrer com a rede social profissional LinkedIn. Ele funciona integrado à suíte de serviços e aplicativos G e permite integrar quem está procurando contratar ou ser contratado.

O Hire funciona como os demais serviços da plataforma de redes sociais do Google. O usuário se loga com o mesmo cadastro do Google, e tem acesso aos perfis. Para empresas, o Google Hire permite integração com os bancos de dados preexistentes, assim como agenda e programas de mensagens. Para o usuário que busca colocação ou recolocação, o Hire oferece otimização para as bases de dados do Google, a fim de melhorar visibilidade.

Além do Google, também o Facebook tem dado sinais de que está tentando entrar no mercado corporativo, preparando um serviço equivalente ao LinkedIn.

Facebook estuda cobrança de notícias

Executivos revelaram que site norte-americano estaria estudando permitir cobrança para leitura a partir de certo número de acessos.

FacebookCampbell Brown, a encarregada do programa de parcerias do Facebook nos Estados Unidos, revelou que a rede social está estudando a possibilidade de permitir cobrança de notícias. O site passaria, neste caso, a usar um modelo semelhante ao de alguns jornais na Internet. Com o chamado paywall, o usuário pode ler um certo número de matérias gratuitamente (por exemplo, 10 por mês), e a partir disso precisa pagar um determinado valor.

A executiva não informou se o projeto em estudo funcionaria para todos os países e todos os perfis de usuários. O Facebook costuma fazer implementações piloto, testando modificações primeiro em uma área restrita.

Google Glass está de volta, agora para trabalhar

Depois de não ter dado certo como projeto para o usuário final, Alphabet redirecionou o Google Glass para o mercado corporativo.

Divulgação
Google Glass agora se chama Glass Enterprise Edition e é voltado ao mercado profissional, principalmente indústria e setor da saúde
Está de volta o Google Glass, os óculos virtuais do Google que provocaram euforia anos atrás e acabaram não decolando comercialmente. A Alphabet, controladora do Google, relançou o projeto, agora realinhado para um público diferente. O produto agora se chama Glass Enterprise Edition e é direcionado ao mercado corporativo, especialmente indústria e profissionais da saúde.

O Glass é uma armação de óculos com uma câmera e um visor que permite ao usuário enxergar dados sem o uso das mãos e sem obstruir seu campo de visão. A Alphabet anuncia que essas funcionalidades tornam o dispositivo ideal para técnicos que precisem consultar manuais ou listas de procedimentos enquanto estão trabalhando. A câmera tem resolução de 8 megapixels, maior do que a do dispositivo anterior.

AFP
Google Glass foi inicialmente criado para o usuário final, mas a empresa concluiu que o produto não era viável neste uso
Por enquanto, ainda não há data de lançamento nem preço estimado. A Alphabet fez o anúncio nesta terça-feira (18/7) conclamando parceiros de desenvolvimento. Neste ponto, informa a empresa, só terão acesso os parceiros do projeto. Há uma série de informações em um FAQ, que menciona, por exemplo, o que aconteceu com o projeto Explorers, o lançamento beta do Glass que acabou mostrando que o produto não funcionaria para o usuário final.

 

 

 

Saem primeiros detalhes do novo console Atari

Nesta segunda-feira (17/7) foram divulgadas primeiras imagens oficiais do Ataribox.

A Atari havia anunciado na época da feira E3 que estava preparando um novo console. Nesta segunda-feira a empresa divulgou as primeiras imagens de divulgação do aparelho.

Imediatamente começou uma série de especulações entre sites especializados. Havia dúvidas sobre o que, exatamente, a Atari está preparando. Seria uma espécie de emulador, como os recentes consoles retrô, ou efetivamente uma nova plataforma? As fotos e as primeiras informações não esclarecem muita coisa.

Segundo a Atari, o Ataribox terá games antigos, mas comportará entrada de jogos novos através de cartão. Pelas fotos divulgadas, dá para ver que o dispositivo parece tentar evocar versões antigas, como os primeiros Atari 2600 e até o Atari 5200.

Não foram dadas informações sobre data de lançamento, periféricos (vai ter acessório para aceitar cartuchos para retrocompatibilidade?) e, principalmente, a potência de processamento, que pode indicar se ele emulará só os games da Atari ou poderá comportar plataformas posteriores também. A informação inicial é que ele seria baseado em hardware de PC, o que permite ampla gama de emulações.

  • Uma das imagens de divulgação do Ataribox mostra a parte traseira aberta, com entradas para cartão e conexões
    Foto: Reprodução
  • Visual das primeiras fotos do console Ataribox lembra dispositivos contemporâneos, como DVDs e BluRay Players
    Foto: Reprodução
  • Uma das primeiras imagens do novo console Ataribox, que terá entre as opções de acabamento uma estampa de madeira, evocando as primeiras versões do Atari 2600 nos EUA
    Foto: Reprodução

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS