Publicidade
Blog do Rodrigo Becker

Livres, leves e elegíveis: Mario vai às urnas

Mario Cardoso, o Número 1 de Jairo Jorge Foto: Divulgação
O rumoroso 'caso da mochila' e dos 500 mil encontrados no comitê de campanha e no apartamento do tesoureiro da então coligação governista em 2016 trouxe novidades nesta quinta-feira, 21. Boas, no caso de Beth Colombo (Republicanos) e Mario Cardoso (Solidariedade). Ambos foram absolvidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por 7 votos a 0 da acusação de crime eleitoral. Os desembargadores entenderam que não há provas em mais de quatro mil páginas de processo de que ambos soubessem da existência do dinheiro, origem ou finalidade.

CONTEÚDO ABERTO | A cobertura completa sobre o coronavírus

O tesoureiro da campanha na época, dono da mochila, seguiu condenado a oito anos de inelegibilidade.

Beth comemorou dizendo que a 'Justiça está sendo feita". Já Mario Cardoso, seu companheiro de chapa na época, respirava alívio, à tarde. Diferente de Beth, que já avisou amigos, família e o partido que não concorre em 2020, Mario vai às urnas. Número 1 de Jairo Jorge (PSD), é o primeiro a ser chamado para por a estratégia à mesa com o ex-prefeito. E candidatíssimo a vereador pelo partido do provável vice, Nedy de Vargas Marques.

Cabe recurso à decisão do TRE, mas o 7 a 0 é contundente.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.