VOLTAR
FECHAR

Rua Domingos Martins, 400 - Centro - Canoas/RS - CEP: 92010-170
Fones: (51) 3462.7000 - Fax: (51) 3462.7007

Tecnologia

Denúncia de que o Google rastreia usuário sem autorização

Relatório diz que informações são armazenadas automaticamente.

Reprodução
Logotipo do Google Maps para plataformas móveis. Relatório diz que o app armazena dados sobre localização do usuário mesmo sem autorização
Os serviços de smartphone da Google armazenam dados de localização dos usuários mesmo quando as configurações de privacidade estão ajustadas para desligar estes recursos, de acordo com um novo relatório da Associated Press que ganhou repercussão mundial nesta segunda-feira (13). Enquanto a companhia pede permissão dos usuários para compartilhar a informação da localização com seus aplicativos, ela não suspende seus serviços de rastreio quando a pessoa pausa o Histórico de Localização, mostra o estudo.

O Google Maps, por exemplo, coleta informações quando o usuário simplesmente abre o aplicativo. Já as atualizações diárias automáticas do clima nos celulares Android dão um dado aproximado sobre a localização do usuário. Pesquisadores de ciência da computação confirmaram as descobertas da AP.

A mensagem oficial do Google é para promover a autonomia do usuário quando o assunto é decidir qual informação compartilhar: "Você pode desligar o Histórico de Localização a qualquer momento. Com o Histórico de Localização desligado, os lugares aos quais você vai não são mais armazenados", afirma a página de privacidade da empresa. A AP, no entanto, afirma que isso não é verdade. Mesmo pausando o Histórico de Localização, alguns aplicativos do Google armazenam, automaticamente, dados de localização com a data sem a permissão do usuário, descobriu a agência.

Em comunicado à agência de notícias, o Google afirmou: "Damos descrições claras dessas ferramentas, e controles robustos para que as pessoas possam ligá-las ou desligá-las, e apagar seus históricos a qualquer momento." Procurado pela Bloomberg, o Google não respondeu imediatamente, notícia divulgada pela Agência Globo.

Uma fatia significativa da receita da gigante das buscas vem da venda de anúncios, que é impulsionada por dados gerados por usuários, que fornecem informações úteis para usuários como métricas de tráfego.

Usa cartão SD no celular? Cuidado!

Falha de segurança foi detectada pela empresa especializada Checkpoin.

Divulgação
Símbolo do Android Marshmallow, próximo sistema operacional para dispositivos móveis da Google
Se você tem smartphone com Android e usa cartão microSD, tome cuidado com uma falha de segurança que acaba de ser descoberta. A empresa Checkpoint, especializada em segurança digital, anunciou no congresso Defcon que identificou uma brecha no sistema operacional que atua no gerenciamento do cartão. O defeito fica no chamado firmware, o sistema que vem dentro dos aparelhos, e permitiria que hackers tenham acesso ao telefone, roubem dados e até assumam o controle do smartphone.

A falha fica no gerenciador de permissões para o controle da memória expandida de armazenamento, aquela que é ativada quando o usuário usa um cartão microSD para aumentar o espaço disponível. Por causa de um problema de segurança, um código malicioso pode ser usado para acessar o sistema inteiro do aparelho a partir desta falha.

De acordo com a Checkpoint, o problema só pode ser explorado mediante código embutido num app de gerenciamento de armazenamento.

COMO EVITAR

* Nos próximos dias as fabricantes de aparelhos e o Google devem lançar atualizações de sistema para corrigir a falha. Se você tem o telefone configurado para atualizações de sistema automáticas, elas devem entrar sozinhas. Se você está no modo manual, esteja atento para avisos de atualização urgente de segurança.

* Como a falha só pode ser explorada a partir de um app, não instale aplicativos que foram adquiridos fora da loja oficial do Android, a Google Play. Se você já instalou algum gerenciador de armazenamento que foi adquirido fora do Google Play, desinstale ou não use nos próximos dias.

Facebook está testando serviço de Paquera

Função da rede social ainda está em teste fechado.

Loic Venance/AFP
Facebook: rede social prepara serviço de namoro
A imprensa especializada internacional descobriu que o Facebook já está testando seu novo serviço de Paquera. Trata-se de uma função que busca concorrer com o app Tinder, popular aplicativo de namoro.

Um aplicativo semelhante ao Tinder já havia sido anunciado pelo Facebook em maio, porém não haviam sido dados detalhes. Agora, as informações existentes são de que o serviço vai se chamar Paquera e não vai ser um app separado do Facebook. O usuário poderá criar um perfil separado do seu e optar ou não por fazer parte. As postagens e o movimento do Paquera não vão aparecer na linha do tempo principal do usuário. A ideia é manter os relacionamentos pessoais mais reservados.

Ainda não há informação sobre entrada do serviço novo. Algumas vezes, o Facebook até descarta experimentos deste tipo. Em outros casos, começa implementações regionais, testando primeiro uma localidade geográfica específica, para depois ampliar a distribuição.

Já viu o misterioso aviãozinho que apareceu no Facebook?

Emoji de reação seria um defeito ou recurso oculto.

Reprodução
Emoji de reação com um avião, que começou a aparecer no Facebook
Usuários do Facebook podem ter começado a notar uma curiosidade nas últimas horas: um ícone de avião começou a aparecer entre os emojis de reação, aqueles que diversificam a função curtir. 

No começo ninguém sabia exatamente o que o avião significava, nem por que apareceu. Ele aparenta ser um bug, ou defeito, já que não está disponível em todos os aplicativos. No computador, em geral só dá para ver. Ativar o ícone parece estar restrito a usuários de app de celular com Android que tiverem a versão mais recente do Facebook instalada.

Em alguns casos, pode ser preciso fazer algumas coisas para que o ícone apareça. Uma das formas é entrar em uma postagem e comentar com uma dessas hashtags:

#PlaneReaction

#addplanereact  

Depois de curtir, o ícone aparece.

A outra forma é mais simples. Quem instalar a versão mais recente no Android deve enxergar dois ícones de carinha irritada ao pressionar o ícone de emojis de reação. Ao escolher a segunda, aparecerá o avião. Em alguns casos, pode ser preciso apertar as reticências para que mais ícones apareçam.

Sites especializados passaram o dia tentando descobrir a origem do ícone. Especulava-se que ele podia ser um dos emojis temáticos temporários que o Facebook implementa às vezes (como o ícone do arco-íris no ano passado). Também se especulava que se tratava de uma espécie de easter egg, ou um emoji que foi incluído no programa mas não implementado, e que só agora alguém aprendeu a ativar. Esta última hipótese acabou sendo confirmada no fim da terça-feira (31) por representantes da empresa. A explicação oficial é que o ícone havia sido desenvolvido em uma maratona de desenvolvedores, mas nunca deveria ter sido implementado, e apareceu no Android como bug (defeito) mesmo.

Não houve informação oficial sobre quais ações o Facebook vai tomar, mas é provável que o ícone desapareça nas próximas horas ou dias.

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS