Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde Oncologia

Sistema imune pronto para atacar

Veja detalhes da modalidade terapêutica que induz o combate das células cancerígenas pelo próprio sistema imunológico

Por Adriana Lima
Publicado em: 21.09.2021 às 06:15

Imagine reforçar o seu "exército interior" no meio da batalha visando a vitória sobre o inimigo? É mais ou menos com este conceito que age a imunoterapia. Esta é uma modalidade terapêutica que induz o combate das células cancerígenas pelo próprio sistema imunológico do organismo.

A imunoterapia está mudando o tratamento de vários tipos de câncer, mas depende algumas vezes do tipo de tumor e/ou da presença de um marcador específico de resposta
A imunoterapia está mudando o tratamento de vários tipos de câncer, mas depende algumas vezes do tipo de tumor e/ou da presença de um marcador específico de resposta Foto: Adobe Stock

É um pouco diferente dos outros tipos de tratamentos oncológicos. Enquanto, por exemplo, a ação da quimioterapia se baseia em atacar diretamente as células tumorais, a imunoterapia auxilia o próprio sistema imunológico do paciente a identificar e combater o câncer. Ou seja, em vez de atuar diretamente contra o câncer, os remédios imunoterápicos auxiliam as defesas do corpo para que elas mesmas detectem e combatam a doença.

E os resultados tem sido promissores. "Novos imunoterápicos estão gerando resultados impressionantes em múltiplas situações. Em alguns pacientes são capazes de induzir uma resposta completa (regressão total do tumor) persistente, de longo prazo, levando a expectativa de que alguns casos previamente incuráveis possam estar livres da doença a longo prazo", destaca a oncologista e diretora da Oncosinos Novo Hamburgo, Daniela Lessa.

Tratamento

A médica destaca que entre os tumores que respondem a este tratamento estão alguns subtipos de câncer de mama, os melanomas, os tumores renais, câncer de pulmão, esôfago, cabeça e pescoço, e os linfomas. "A cada dia novas indicações surgem conforme os estudos clínicos vão esclarecendo quais as situações que se beneficiam deste tratamento; se utilizado isoladamente ou em conjunto com quimioterapia ou radioterapia. O tempo de uso e os efeitos a longo prazo também ainda são incógnitas", informa.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.