Publicidade
Notícias | Canoas Alerta

Cresceram 40% os 'golpes dos nudes' em Canoas

As vítimas são homens entre 40 e 60 anos, em geral casados, com boa condição financeira. A 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM) já levou 12 para a cadeia

Publicado em: 26.11.2020 às 18:18 Última atualização: 27.11.2020 às 09:24

O delegado Mario Souza está preocupado, porque as vítimas não param de surgir Foto: PAULO PIRES/GES
Sem querer ser identificado, a vítima de 42 anos contou que uma mensagem de WhatsApp, encaminhada por uma "loira muito bonita" apareceu de repente, mandando um "Oi", no celular. Ele respondeu e teve início a conversação. "Eu estava solteiro na época", lembra. "A conversa começou com ela dizendo que mandou a mensagem por engano, mas então me apresentei e começamos a bater papo." O contato se estendeu por três dias devido a afinidades encontradas entre o trabalhador e a jovem que se apresentou como Ana Cristina. Não demorou muito para que eles começassem a trocar fotos, algumas íntimas. "A gente estava apenas se divertindo, quando recebi um áudio estranho", diz. "Era um sujeito que se apresentou como irmão dela. Me contou que entrou no quarto da irmã e pegou o celular dela. Encontrou minhas fotos e disse que iria levá-las para a polícia, porque ela era de menor", continua. "Inclusive começou a me chamar pedófilo." A vítima só percebeu o golpe quando o homem do outro lado da linha escreveu "vamos ter que resolver de algum jeito para a polícia não ficar sabendo." "Foi só ali que percebi o golpe. Fiz o bloqueio do WhatsApp dela e depois troquei meu número."

O trabalhador então procurou a Polícia Civil. Foi até o balcão da 4ª Delegacia de Polícia (DP) de Canoas, onde teve a certeza que escapou do chamado "golpe dos nudes." O esquema se resume, basicamente, em extorsão. Começa com um perfil falso no Facebook, Instagram ou mesmo no WhatsApp, em geral personificado por uma mulher jovem e atraente. A abordagem mira homens entre 40 e 60 anos, com boa condição financeira. "A conversação começa de maneira tranquila e avança para mensagens mais picantes. Quando a confiança da vítima é alcançada, começam os pedidos para trocar fotos íntimas", explica o delegado Mario Souza, responsável pela 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (DPRM). O delegado está preocupado com este tipo de crime. "Os casos não param de chegar", aponta. O crescimento observado foi de 40% somente nos últimos quatro meses. Foram mais de 100 crimes. "Teve uma vítima que entregou o carro para os golpistas", aponta. "É que a pessoa, desesperada para não ter sua vida íntima exposta, faz qualquer coisa para tentar se livrar do problema. Só que a extorsão nunca termina", adverte.


Sinal de alerta ligado

Até agora, pelo menos uma dúzia de criminosos foram levados à cadeia pela Polícia Civil por "golpes dos nudes." O sinal de alerta foi ligado pela 2ª Delegacia Regional no meio do ano. Em setembro, a Polícia Civil acabou com um complexo esquema de extorsão, cujo prejuízo chegou a ser estimado em pelo menos R$ 90 mil. Pelo menos 40 homens foram vítimas do grupo em um período de quatro meses. A operação coordenada na época pela delegada Luciane Bertoletti acabou identificando um apenado, que cumpria pena em casa, com tornozeleira eletrônica. "O detento montava falsos perfis e a partir disso atuava em aplicativo como se fosse uma jovem bonita, inclusive com fotos", contou. "Para chantagear as vítimas, ele mantinha conversas onde insinuava algum interesse ou encontro sempre como se fosse uma mulher. No pretenso relacionamento virtual, os homens enviavam e também solicitavam fotos nuas", completou. Um levantamento durante a investigação apontou que os crimes davam tão certo, que o criminoso expandiu o negócio para fora do Rio Grande do Sul. Nada menos que sete telefones foram encontrados na casa do detento. Foi assim que os policiais encontraram vítimas de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Goiás, Rio Grande do Norte e Distrito Federal. "A maioria das vítimas são homens casados, com mais de 40 anos e uma situação financeira estável", destacou a delegada.

Velhos crimes pela internet

Novos crimes na internet surgem a todo momento. Os "golpes dos nudes" se resumem a ameaças. A Lei Carolina Dieckmann foi criada em 2012 para coibir e punir golpes assim. Na época, a atriz sofreu com o vazamento de imagens em que aparecia nua. Porém, hoje são as próprias vítimas que encaminham imagens íntimas pelo celular. "Em alguns casos que investigamos, há vídeos absurdos encaminhados aos criminosos. As pessoas precisam ter mais cuidado ao se expor", orienta o delegado Mario Souza.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.