Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Canoas Pandemia

"Comércio não tem fôlego para novas restrições", diz presidente da CDL

CDL alerta para importância de protocolos contra a Covid-19 para evitar aumento de casos na cidade

Por Daniele Farias
Publicado em: 13.01.2022 às 03:00 Última atualização: 14.01.2022 às 08:09

O aumento do número de casos de Covid-19 e a atual situação econômica do País acenderam o alerta para os comerciantes de Canoas. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) tem reforçado a necessidade dos cuidados para evitar a possibilidade de novas restrições.

Piora da pandemia e atual quadro econômico motivam orientações aos comerciantes
Piora da pandemia e atual quadro econômico motivam orientações aos comerciantes Foto: PAULO PIRES/GES
O presidente da entidade, Everton Netto, informa que, até o momento, não há orientação sobre limitações de público nos espaços, mas orienta que os empreendimentos tenham bom senso, intensificando os protocolos de segurança contra a pandemia.

"O comércio não tem mais fôlego se for preciso novo período de restrições mais severas. Devemos fazer nossa parte para proteger os trabalhadores e clientes", argumenta Netto. A sugestão da CDL é que, aqueles que puderem, adotem trabalho remoto ou híbrido.

Intenção de consumo

A edição de dezembro de 2021 da Intenção de Consumo das Famílias gaúchas (ICF-RS), divulgada nesta semana, mostrou uma interrupção da retomada da intenção de compra. O estudo indica recuo de 3,8%, alcançando 75,1 pontos, a primeira queda desde maio de 2021. Com isso, o ICF encerra o ano 24,3% abaixo do patamar pré-crise.

Dos sub-índices que compõem a pesquisa, apenas o de Emprego Atual não apresentou recuo, mas uma leve alta de 0,2%. A renda atual caiu 4,1% no comparativo com novembro de 2021 e registrou 89,3 pontos. Essa foi a quarta queda mensal consecutiva encerrando o ano 13,1% abaixo do patamar pré-crise.

O sub-índice de consumo atual apresentou o primeiro recuo desde maio de 2021. A variação de -3,7% na comparação com novembro de 2020 trouxe o indicador para 70,6 pontos (-20,6%) em relação ao pré-pandemia. Os sub-índices de acesso a crédito e momento para o consumo de bens duráveis voltaram a intensificar perdas. O primeiro recuou 5,2% na comparação com o mês anterior e atingiu os 87,4 pontos (11,3% abaixo do pré-crise), e o segundo recuou 12,2% aos 52,6 pontos (-37,0% abaixo do pré-pandemia).

Mais cautela nas compras é o cenário

A perspectiva profissional ficou praticamente estável (-0,6% em relação a novembro de 2021) e aos 72,4 pontos ficou 33,6% abaixo do pré-crise. Já a perspectiva de consumo atingiu o nível de 61,4 pontos com recuo de 3,2% .

"O índice de Intenção de Consumo das Famílias é um importante indicador antecedente do consumo. Os dados de dezembro mostram que a inflação e o aumento dos juros têm impactado as famílias, provocando um comportamento mais cauteloso. Isso é uma importante informação para empresários no momento de compor estoques e planejar o ano", comentou Luiz Carlos Bohn, presidente da Fecomércio-RS.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.