Publicidade
Notícias | Região Congresso Inspiração

Bate-papo com Clóvis de Barros Filho

Professor na área de ética, Barros Filho é um dos palestrantes do evento da CDL Canoas que acontece no próximo dia 20 de agosto

Por Adriana Zottis
Última atualização: 05.08.2019 às 09:52

 

Divulgação
Clóvis
O 3º Congresso Inspiração, promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) no Centro de Eventos do ParkShopping Canoas, no próximo dia 20 de agosto, traz mais de seis horas de palestras e cinco palestrantes. Entre eles, Clóvis de Barros Filho, que vai abordar a temática "Valores - como lidar hoje com a complexidade das escolhas". O palestrante é conhecido pela ironia, alta dose de cultura e muito bom humor. "Clóvis diz que a felicidade é um momento que gostaríamos de repetir, então por que não proporcionar isso novamente?", brinca o presidente da CDL, Marcos Negrini, lembrando da presença do palestrante paulista na edição de 2018. Nesta entrevista ao Diário de Canoas, Clóvis de Barros antecipa um pouco do que vai abordar no evento.

Diário de Canoas - Poderias adiantar alguns pontos do que vai abordar em sua palestra na CDL - Canoas - "Valores - como lidar com a complexidade das escolhas?"

Clóvis de Barros Filho - Trataremos de um ponto da teoria moral que coloca em destaque os valores, as verdadeiras fundações de qualquer comportamento. Consequentemente, ao colocar valores lado a lado, seremos instados a pensar sobre as complexidades que se fazem presentes de imediato.

Em um mundo cada vez mais complexo, fazer escolhas tem se tornado mais difícil ou a complexidade está mais dentro do que fora de nós?

Barros Filho - A complexidade de escolhas sempre existiu. E ela se torna sempre maior quando há mais liberdade. Nesse sentido, não importa para a complexidade das escolhas a complexidade do mundo, mas sim a liberdade que temos para agir.

De que forma abordar o assunto "valores" no Brasil de hoje, onde eles parecem estar ruindo?

Barros Filho - Os valores são todos. Os que levam a caminhos bons e maus. Todos são valores. Por isso, não podemos falar de ruína. Porque o que se identifica como ruína não passa da troca de valores que se considera bons para valores que se considera ruins. Um exemplo: O enriquecimento. Pode ser um super valor. Agir de maneira a enriquecer. Acho que é um dos que move o dia a dia em qualquer empresa. Mas no agente público, o enriquecimento não é um valor a perseguir. No lugar dele, o serviço público, ao outro, desapegado da própria prosperidade. Temos aí um claro exemplo de complexidade que muitas vezes é confundida com ruína.

Como escolher com sabedoria em uma sociedade que acena com cada vez mais possibilidades e nos bombardeia com ideais e promessas pouco realistas?

Barros Filho - Os filósofos milenares já ensinavam: devemos buscar incessantemente a reflexão moral, destrinchar causas e consequências de nossos comportamentos, tomar como rotina de nossas vidas o entendimento das complexidades da vida e das escolhas.

Até que ponto somos realmente conscientes do que escolhemos?

Barros Filho - A consciência de nossas escolhas depende do grau de conhecimento de si que conseguimos atingir. Infelizmente, é uma habilidade que requer treinamento, dedicação e enfrentamento constantes de descobertas desagradáveis, por isso, é pouco praticada.

Escolher implica responsabilizar-se por uma decisão. Como conviver com "escolhas erradas"?

Barros Filho - A melhor maneira de não se arrepender é saber que, no momento da escolha, usamos toda a nossa capacidade intelectual e escolhemos com o máximo possível de informações disponíveis a nós. Se escolhemos usando o máximo de nossa capacidade, sabemos que não poderíamos ter feito melhor ou diferente, tornando em eventual fracasso um problema que esteve totalmente fora de nossas mãos.

A liberdade pode ser assustadora. Todos a defendemos ferozmente, mas muitas vezes damos um jeito de sabotá-la. Poderia comentar sobre isso?

Barros Filho - O senso comum associa à liberdade um sentimento de alegria e euforia. A filosofia associa à liberdade o sentimento de angústia. E toda vez que abrimos mão de uma liberdade, não o fazemos por medo de nos alegrarmos, isso é estúpido; fazemos para fugir de uma angústia específica: a de ter que escolher.

Saiba mais
O que: Congresso Inspiração
Quando: 20/08, às 13h
Onde: Centro de Eventos do ParkShopping Canoas
Ingressos: 1º lote – R$ 165 (associados da Cics e CDL) ou R$ 210 (não associados)
Informações: http://www.congressoinspiracao.com.br/

 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.