Publicidade
Notícias | Ser Educação Ensino

Leia Coluna Especial do projeto Ser Educação

Conteúdo especial desenvolvido pelo Colégio Espírito Santo

Publicado em: 30.04.2021 às 09:34 Última atualização: 30.04.2021 às 09:34

O legado e os resultados positivos de um ano atípico na educação

Professora Edna Coelho da Silva em aula on line Foto: Marcos Merker/CES

Especialmente na educação, 2020 ficou definido como o ano atípico. Embora 2021 siga no modelo de ensino remoto, o cenário agora é diferente. No ano passado, escolas privadas e públicas tiveram que estudar alternativas para oferecer aulas on-line, testar possibilidades tecnológicas e avaliar o que funcionava, ou não, para cada segmento escolar.
No Colégio Espírito Santo, de Canoas, esta realidade também se mostrou desafiadora. “Substituímos o giz pelo mouse, a lousa pelo monitor e a caneta pelo teclado. Foi preciso ter calma para perceber como o ensino on-line funcionaria para o corpo docente e para os alunos”, comenta a especialista em Tecnologia Educacional do CES, Cristina Torres Felippin.
Desde março de 2020, os estudantes migraram da sala de aula para suas casas com boa familiaridade no uso das plataformas digitais já adotadas pela escola, entre elas: Plurall, dentro do Sistema de Ensino pH, Mangahigh e Matific. Além disso, foram incorporados outros recursos e ambientes virtuais do Google, como o Classroom e o Meet, contando com o suporte da Foreducation EdTech para capacitar os professores a fim de ministrarem as aulas de forma interativa. “Esta parceria trouxe uma solução ímpar para a continuidade do ensino. Todos em casa, todos na aula”, afirma a diretora do CES, Irmã Maria Sônia Muller.

Notas altas na redação do ENEM

Apesar do estranhamento com o ensino longe da escola e da mudança na rotina de estudos, muitos alunos concluintes do Ensino Médio do CES registraram notas acima de 840 pontos na redação do Enem 2020. “A gente teve que adquirir uma autonomia para os estudos em casa. Essa adaptação foi complicada, porque eu estava acostumada a estudar na escola e foi um ano muito diferente, mas o importante era eu fazer o meu máximo”, relembra Luiza Soares da Silva, que alcançou a nota 960 na Redação do Enem.

Alunas se destacam em Olimpíada

Professor Luciano Alécio e a diretora Irmã Maria Sônia Muller com as alunas medalhistas na OBA Foto: Marcos Merker/CES
Estudar de forma remota, sem o convívio presencial, causou ansiedade em muitos estudantes. “O nervosismo que sentimos, é claro, refletiu na nossa performance. Mas quando a gente lembrava de toda a preparação do Ensino Médio, ficava mais tranquila para as provas”, conta Júlia da Silva Morais, formada no CES em 2020, que comemorou em 2021 a nota 860 na redação do Enem e a conquista da medalha de ouro na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Na mesma competição, as alunas Ana Laura Carneiro e Ana Caroline Lacerda Garcia conquistaram prata e bronze, respectivamente. O destaque delas serviu de motivação para que um número muito maior de estudantes se inscrevam na edição deste ano da OBA.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.