Publicidade
Opinião Artigo

Fadiga

Por Geraldine Alves dos Santos
Publicado em: 22.05.2021 às 03:00

Muitos estudos estão alertando para a questão da fadiga durante este tempo de pandemia. A fadiga está ocorrendo por diversos fatores como, por exemplo, as pessoas estarem trabalhando e estudando remotamente, pelo sofrimento físico da Covid-19, pelo sofrimento emocional do medo de contágio e pelas perdas. Enfim, estudos em diferentes lugares do mundo têm apontado que vários fatores aumentam a percepção de fadiga.

A verdade é que problemas físicos ou emocionais sempre estão acontecendo individualmente, mas pela primeira vez o problema se mostrou mundial. Este evento histórico potencializou o sofrimento e consequentemente a fadiga.

As pessoas não estão sofrendo somente pelos seus problemas e pelas suas dores. Elas sofrem pelos amigos, pelas figuras públicas, pelas notícias de sua região e pelas notícias do outro lado do mundo. Sofrem pela falta ou excesso de informações.

As pessoas já estão demonstrando cansaço no início do ano, pois as rotinas foram mudadas drasticamente e se mantêm em constante adaptação. As pessoas estão ficando cansadas muito rapidamente. E não conseguem sentir que estão sendo produtivas. O que causa uma diminuição na crença de suas capacidades. Além da falta do contato humano para auxiliar na mudança dessa percepção, as pessoas estão se sentindo exaustas física e mentalmente.

Percebe-se que de maneira geral o cansaço físico reforça o mental e vice- versa. Porque ao ficarem exaustas as pessoas dormem e se alimentam de maneira inadequada, o que novamente potencializa o cansaço e a irritabilidade.

Elas acordam mais cansadas do que quando foram dormir. Além disso, o excesso de demandas por telefone, e-mail, WhatsApp e reuniões virtuais leva as pessoas a terem que dar conta de múltiplas tarefas.

Essa situação não está afetando um grupo específico de pessoas ou de categoria profissional. Os estudos estão demonstrando a presença destas questões em toda a população.

Consequentemente, tudo isso leva as crianças, os adolescentes, adultos e pessoas idosas a diminuírem a capacidade de pensar com tranquilidade e organizar suas rotinas. Diminui a capacidade de concentração e foco no que está sendo realizado, gerando dificuldade de começar as atividades. No decorrer do processo diminui a produtividade e ocorre a perda gradativa da vontade e ânimo para fazer as atividades e até mesmo os hobbies que poderiam auxiliar muito neste momento. Por causa de variáveis como a fadiga, a preocupação com a saúde mental da população nos próximos anos será uma demanda tão grave quando a própria pandemia.

 



O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.