Publicidade
Opinião Opinião

Ter netos

Por Geraldine Alves dos Santos
Publicado em: 31.07.2021 às 03:00 Última atualização: 31.07.2021 às 12:44

Quando temos filhos não recebemos manual de instrução. Imagina quando nos tornamos avós. Ai sim que não vem nem um manual rápido.

Nossa sociedade nos prepara para sermos jovens e termos filhos. Mas... Não nos dá muitas dicas de como devemos ser na velhice e muito menos como ser avós. Assim, como sempre, vamos tateando no escuro, revendo nossas vivências e experimentando.

Os netos têm pais. Esses podem facilitar a experiência com os netos ou dificultar muito. Claro que os avós também podem não ser muito fáceis. Quando casamos nos deparamos com as famílias dos cônjuges que se metem na educação dos nossos filhos. Mas quando somos avós são mais famílias e culturas envolvidas e muitas vezes os avós se sentem perdidos e não sabem se estão mais ajudando ou atrapalhando. Ao mesmo tempo existe a sensação que devem ajudar, pois se sentem responsáveis.

Cada situação é muito distinta e a experiência de ser avô ou avó também é muito subjetiva. Cada fase da vida nos traz novos desafios.

Os avós são as pessoas na família que acumularam mais experiências. Não digo que necessariamente sejam sábios. Pois estão aprendendo no trajeto, com as melancias se ajeitando na carroça. Mas é deles que depende o bom andamento da condução da família. Saber o momento de se aproximar e de se afastar. Essa é a magia de ser avô e avó. Ter a visão ampla da vida e das consequências das ações escolhidas.

Neste momento, chegamos ao entendimento de qual o papel que os avós têm na estrutura de uma família e de uma sociedade.

Avós não são as pessoas que mimam os netos, ou que dão presentes e dinheiro no natal e no aniversário. Os avós são os modelos mais importantes que carregamos em nossas ações e memórias ao longo da vida. Mesmo que não tenhamos conhecido nossos avós eles vivem no imaginário das famílias. Eles carregam os valores morais. Depende deles os valores que são considerados corretos ou não em uma família.

As atitudes e valores dos avós perpassam as ações dos filhos, mas principalmente dos netos. Pois eles são a visão que temos do nosso futuro. De como seremos décadas adiante. Deles depende o valor da vida, no sentido de que mostram aos mais jovens se vale a pena a viver e como se deve viver.

Se os avós são pessoas tristes e deprimidas, demonstram aos netos que não vale a pena envelhecer. Os avós que são ativos e demonstram que as dificuldades podem ser vencidas e que a vida tem perdas, mas também tem ganhos, proporcionam uma vida com esperanças para os netos.

A juventude precisa de modelos. Bons modelos. Os avós têm esse papel. É importante que os avós se deem conta deste papel de modelo que exercem. E cuidem da forma como se manifestam e da repercussão que as palavras e ações podem ter sobre os jovens.

Mas é muito importante que as famílias e a sociedade garantam aos avós um espaço diferenciado na estrutura familiar de amor e de respeito.

 


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.